Empreendedorismo contra o Desemprego

Não somente contra o desemprego, mas o  desafio proposto é o empreendedorismo, como uma nova proposta. Você já pensou nisso?

O que mais ouvimos nos últimos tempos é o crescimento do desemprego, a busca insana por emprego. Apesar que temos dados numéricos, como vimos no post anterior, que há sim uma luz no fim do túnel. O número de desempregado no Brasil aumenta e a crise quando parece que vai decrescer, vem um “mergulho” e estamos novamente diante dos novos flashes e escândalos. Esses abalam a credibilidade financeira para investimentos externos para que possam crescer economicamente.

E como ficamos diante esse cenário?

Bom, se não é para arregaçar as mangas é melhor nem parar para pensar.  Se você está desempregado, qual é o primeiro pensamento que se tem? Sentar em frente ao computador e atualizar o Curriculum Vitae, cadastrar nos bancos de dados de vagas disponíveis, etc. E a busca por emprego começa, ou melhor,  a batalha pelo emprego começa.  Caso esteja trabalhando, em um cargo efetivo, a luta por se manter nele é há cada segundo.  O desânimo para ser produtivo, mesmo  observando a guerra da empresa para se manter no mercado. Além do combate psicológico de ver amigos e colegas de trabalho sendo dispensados, é não estamos vivendo os melhores tempos.

Em nosso Ciclo de Amizade

Encontramos pessoas sem condições de ação, e sem saber direito como reagir a tudo isso e  ficam cada vez mais desmotivadas.  A verdade que temos que ter força de enxergar esse momento delicado como uma oportunidade de ressurgir das cinzas. O que se percebe é que as vagas que aparecem no mercado não são para novas oportunidades. Muita das vezes os  preenchimentos disponíveis são com salários muito mais abaixo que o seu nível de habilidade e capacitação. A final de contas às empresas também estão impactadas pela situação do Brasil. Mas sabemos que as coisas vem mostrando uma tímida melhora, é nesse ponto que temos que acreditar e seguir em frente. Não desistir!

Uma nova Visão – uma Ideia – uma Oportunidade

Com a crise surgem novos parâmetros que nascem com grandes performances. Ou seja, somos obrigados a pensar fora da caixinha. E vimos como estávamos em uma zona de conforto tão grande, mesmo que produtivos. Entretanto, só mesmo quando as coisas apertam é que conseguimos enxergar certas coisas que antes não observamos.

Todos nós somos todos formados,  sim formas padrões. Recebemos uma educação que temos que estudar nos formar e conseguir um bom emprego, para garantir: nosso futuro; nossos benefícios; nossa aposentadoria, etc.  Ao certo que saiamos de nossas casas todos os dias, desperdiçamos o  nosso tempo e nos estressamos no transito das cidades para chegar ao serviço. No trabalho dedicarmos  de 8 a 9h de nosso dia, muita das vezes não conseguimos ser tão produtivos o quanto precisaríamos. E retornamos ao nosso lar depois de horas de rush e novamente stress no transito. Para termos o nosso salário no final do mês, que muita das vezes não cobre nossas despesas e necessidades. Precisamos então, buscar uma complementação, para quê? Para darmos um conforto maior para nossa família, tentar aposentar.

É isso é uma questão cultural!

E o que se observa é que não somos educados para usar nossos talentos. Ou seja: nossos conhecimentos, as habilidades que desenvolvemos ao longo de experiências, quiça menos empreender. Usar o empreendedorismo para arriscar em algum projeto pessoal, é uma verdadeira loucura. Porque  é nos dado um cenário de um país voraz de empreendedores.  E que dessa forma não teremos aquela tal famosa “estabilidade profissional”. Que podemos dizer que é uma verdadeira ilusão, não é ?

Sabe qual é a verdade nisso tudo?

A crise trouxe uma nova forma de pensar em trabalho, na verdade o trabalho ganhou um peso desproporcional em relação às questões fundamentais da vida. Se recusa atualmente a  ideia de que somos o que fazemos e optamos por uma imagem de que o trabalho é um meio necessário para conseguir o que se deseja.

O que se observa é que  temos decidido dedicar menos tempo e energia a nossos empregos e mais em outras áreas das nossas vidas. Escolhemos mudar de ramo com mais facilidade, seguir um caminho novo, deixar de lado a carreira em busca de um estilo de vida mais saudável. Isso tem sido um choque de cultura dentro das empresas.

Que a associação de trabalho a emprego vem diminuindo cada vez mais. O grande sonho de todos é que o trabalho faça parte das identidades das pessoas. Que elas trabalhem por prazer, sim pela necessidade de sobrevivência também, mas que trabalhem pelo gosto da produção. Cada vez mais essa vertente cresce. E a verdade é que as pessoas mesmo sem saber sobre o assunto, empreender é a bola da vez.

Não se trata apenas de sustento, mas de satisfação pessoal.

A realização profissional é culminante à todos. E isso pode significar investir muitas horas do nosso tempo, que antes eram livres, em cursos, eventos e outras atividades importantes para capacitação. E o empreendedorismo nunca foi tão acessível e percebe-se que os empregos nunca mais serão os mesmos. E importante destacar que as pessoas não querem só dinheiro, e que salário por si só não é suficiente. O mais importante hoje é qualidade de vida, tempo para ficar com a família e fazer outras coisas com diferentes valores.

E o que aponta nesse novo mundo? O mercado digital, o empreendedorismo digital vem com força total.  No marketing digital você usa estratégias de marketing na internet.  O que não é somente publicidade e propaganda.  Mas o que é o marketing? Fugindo das grandes definições – Marketing digital é o exercício do marketing na internet. O trabalho é encontrar, alcançar os clientes através da internet e fazê-lo compreender que aquele produto ou serviço pode ser o melhor para ele naquele momento.

Então você se interessou pelo assunto é o que iremos abordar por aqui, Marketing Digital. Você tendo a oportunidade de trabalhar aonde você quiser,  da forma que quiser e ter os ganhos que você puder dependendo apenas da sua dedicação e trabalho.

“Seu desafio é mergulhar de cabeça nas coisas sem se apegar demais aos resultados. Quando o seu objetivo é adquirir experiência, perspectiva e conhecimento, o fracasso não é mais uma possibilidade. O fracasso é uma invenção sua!” Girl Boss.

Gostou?

Nos próximos post falaremos um pouco mais sobre o empreendedorismo nos tempos de crise, ou seja, o famoso empreendedorismo por necessidade. No ano passado, a taxa de empreendedorismo no país foi de 39,3% segundo o estudo, o maior índice dos últimos 14 anos, e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9%. Veja maiores informações nesse artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *